O panorama da fotografia analógica em 2017

Desde que o Sagrada Película abriu portas, em 2011, muitas foram as notícias de filmes descontinuados, aumentos constantes de preços, ou mesmo fábricas a fecharem. Esses aumentos de preços estão directamente relacionados com as grandes estruturas de marcas como a Kodak ou a Fuji, que não se souberam adaptar à mudança do paradigma na fotografia. Hoje em dia, só fabricantes com uma pequena estrutura e uma filosofia sustentável conseguirão sobreviver no panorama da fotografia analógica.

 

Então, para variar, 2017 está recheado de coias boas. Vejamos:

 

ADOX

Um exemplo de um fabricante pequeno que tem vindo a crescer e se afirma cada vez mais como um player no contexto da fotografia analógica é a ADOX. Em 2005, quando a Agfa abriu falência, a Adox comprou as máquinas e receitas de químicos e películas. Para 2017, o CEO Mirko Böddecker tem planos aumentar a fábrica em Bad Saarow, que vai permitir aumentar a produção para o dobro do que produzem actualmente.

Adox scala 160

Outra novidade avançada recentemente foi o regresso do lendário filme de slides pb “SCALA”, volvidos 10 anos.

Adox SCALA 160 35mm é uma película diapositiva pancromática sensibilizada em preto e branco destinada ao processamento de inversão (transparências).

Este não é um filme negativo para revelação normal, mas sim criado especialmente para esta finalidade. Revestido numa base de triacetato transparente, que apresenta um teor de prata superior (em comparação com um filme negativo), deste modo produz um DMAX de 3,6 ou superior (dependendo do processo de inversão utilizado).

Segundo o fabricante, tem uma camada anti-halo muito eficiente, situada entre as camadas de base e emulsão, que confere ao filme muito poder de resolução e alta nitidez de contorno.

Comparada com o filme original, a nova versão é melhorada, devido a uma velocidade mais lenta (160 ISO) e, portanto, um grão mais fino.

 

FERRANIA

Foi lançada uma campanha no Kickstarter em outubro de 2014 pela marca italiana que teve grande impacto na comunidade da fotografia analógica. O novo CEO da Ferrania, Nicola Baldini, conseguiu o financiamento que pretendia para reactivar a fábrica e voltar a produzir película.

Apesar de ter as receitas e experiência de químicos que trabalharam para a Ferrania, pôr uma fábrica a funcionar – que esteve anos fechada- com o primeiro objectivo de lançar uma película diapositiva a cores, meta um pouco ambiciosa.

A planificação no Kickstarter apontava para num ano, mas esse prazo foi-se alongando até aos dias de hoje, devido aos problemas que foram encontrando pelo caminho; derivados da estrutura da fábrica e de o facto de os equipamentos terem estado anos sem trabalhar.

A questão é que, basicamente, ter uma fábrica de película a funcionar bem tanto pode produzir película a cores, como película a preto e branco, sendo que película a preto e branco é bem mais fácil de fazer que uma película reversível a cores. Vai daí, a malta da ferrania teve uma ideia:

Uma ideia com o nome de P30.

O FERRANIA P30® ALPHA é um filme cinematográfico preto e branco pancromático de 80 ISO para fotografia, que reintroduz o lendário filme P30 produzido pela Ferrania durante a década de 1960.

Na nossa opinião, este lançamento foi uma jogada inteligente, que mostra que estão a fazer avanços e acalma os investidores enquanto as recompensas prometidas ainda não estão terminadas.

Os primeiros testes desta película tinham alguns problemas, mas a equipa já os identificou e está a corrigir essa situação. Em breve será possível comprar esta película no site da Ferrania.

Mais informação aqui:

http://www.filmferrania.it/p30/

 

BERGGER

Por falar em empresas pequenas que continuam a preserverar no analógico, a BERGGER é a última empresa francesa especializada no fabrico de produtos para câmara escura (filmes PB, quimica, papel, etc). Nascida em 1995 da vontade de Guy Gérard, um engenheiro químico, e Daniel Boucher, especialista em economia, esta empresa é herdeira de mais de cem anos de tradição da empresa Guillemot.

A BERGGER lançou agora uma película nova: o Pancro 400. Pertence à gama clássica de filmes de grão (cúbicos) e tem características excepcionais por causa dos anos de pesquisa e desenvolvimento da BERGGER .

 

As características principais do Pancro400 resultam de uma mistura de duas emulsões pancromáticas à base de brometo de prata e iodeto de prata, com tamanhos de grão diferentes. A camada anti-halo do Pancro400 é revestida no mesmo lado de emulsão para cada tipo de filme (135, 120 e 4x5"). Isso confere ao filme uma resolução muito alta.

Segundo o fabricante, as características principais podem ser descritas como: grande tolerância de exposição ( de ISO 100 a 1600 ), grão fino, uma ampla gama dinâmica e escala de cinzentos estendida. 

A revelação do Pancro400 é bastante fácil com a maioria dos reveladores disponíveis. No entanto, para maximizar a latitude e escala de cinzentos, é aconselhável revelar com: Berspeed, Ber 49 e PMK.

Mais informações no site e no instagram.

 

Estamos ansiosos por pôr as mãos nuns rolos de scala, um BERGGER já anda na câmara. ;)

 

 

Add new comment

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.