Revelar com Cafenol

Começar a revelar a preto e branco em casa de modo pouco regular... Qual o revelador mais adequado? Essa foi a questão que surgiu no inicio, tendo como resposta o Agfa Rodial, esse nobre e fiável amigo de 1891. Conhecido por durar e durar sem se deteriorar por tempo quase indeterminado e relativamente fiável. No entanto, aparece muitas vezes como sendo um óptimo revelador a baixas velocidades, criando bastante grão nas mais altas. E se quiser usar filmes mais sensiveis, o que fazer? Há uma grande gama no mercado, sendo a sua maioria com validade curta ou em pó, tendo-se que fazer 5 litros de cada vez ou métodos menos recomendáveis...


E que tal usar café? Já tinha visto este processo descrito, tendo, segundo alguns, um comportamento semelhante ao Xtol, revelador conhecido. Este "novo" químico, de seu nome cafenol apresenta logo à partida uma série de vantagem: se não usar-se parte dos componentes bebem-se, relativamente barato, à mão e sobretudo ecológico!


Assim, passe-se aos 4 componentes do cafenol:
1. Café instantâneo - O mais fácil. Encontra-se em qualquer grande superfície. No entanto há estudos e testes que comprovam que a qualidade do mesmo poderá ter uma influência (quase imperceptivel) no resultado final. Mas comecemos com um de supermercado.

2. Carbonato de sódio (sem bi no principio) - Já tinha usado na cianotípia, tinha em casa. Chama-se a atenção que é diferente do bicarbonato de sódio, usado na cozinha. Na minha experiência descobri estar presente em duas situações no dia a dia: pó para subir PH nas piscina e soda (leve ou densa). No formato de soda é (era) normalmente usada para lavar apetrechos como barris de vinho e superfícies ligadas à indústria vinícola. Passivel de ser encontrado em lojas ligadas à especialidade e drogarias. Arranjei soda leve em pó numa loja de restauro para móveis a 3,60 euros 1kg. Importante: tem de ser em pó (devido à existência de outras sub tipologias que se apresentam em cristais. Este formato é menos adequadas)

3. Ácido ascórbico, também conhecido por Vitamina C - foi-me sugerido o Celeiro, no entanto, como se poderá imaginar, há mais que um ácido ascórbico e o de ingerir não estará propriamente puro. Assim, para não complicar, preferi comprar numa casa de material para laboratório, a Vlab devido à pressa (um pouco mais caro: 25,30 euros 100 gramas). Encontrei também no Ebay a valores muito mais baixos.

4.Brometo de Potássio - da família do sal, também comprado na mesma casa a 14 euros por 100gr. Como a quantidade é residual, nem vale a pena procurar em mais locais.

 

Receitas

Existem várias receitas disponíveis na internet, tendo acabado num Blog onde as experiências são mais conhecidas e de resultados mais consistentes. O do senhor Reinhold Ele propõe 3 receitas base ajustadas para o tipo de utilização a ser dado. Verifiquei que há toda uma comunidade que se baseia nas mesmas. Se funciona com os outros, funcionará comigo. No blog encontra-se muito exemplos do seu uso. Consegui perceber que a receita mais ajustada para o meu caso, velocidades mais altas, seria a Caffenol CH. No entanto não encontrei nenhum exemplo com o Ilford HP5+ a 400. Assim continuei até encontrar a Bíblia  das receitas de Cafenol. Aqui verifiquei uma variação à receita CH, oferecida pelo senhor Eirik Russell Roberts, a de Caffenol CH(rs). Através da diminuição da quantidade de carbonato de potássio, o PH é mais baixo diminuindo o contraste, melhorando a imagem. Após ver esta imagem, passou a fazer ainda mais sentido.


Preparação

Ao invés de fazer uma "litrada" de revelador, converti os valores para 300ml.
Começa-se por misturar o café numa garrafa com 150ml de água e a parte de carbonato noutra separada com a mesma quantidade. Isto tem por objectivo garantir que tudo estava muito bem diluído antes de juntar ambos os componentes e evitar a reacção logo à partida quando se junta o ácio ascórbico com o carbonato de sódio. Depois, junta-se ambas as soluções e o brometo de potássio. Faço a ressalva que, como a receita convertida só pedia 0.3 gr de brometo de potássio, optei como diluir uma grama em 10ml de água, juntando posteriormente 3ml à solução.

 

Se pensaram, como eu, que temos agora um revelador com cheirinho a café, desenganem-se que aquilo cheira quase a esgoto!

 

Revelação:

 

13 minutos para começar, normalmente. Sem qualquer tipo de alteração do processo.
Há apenas a nota que fiz um passo intermédio de tirar o máximo de cafenol possível com água antes do banho de stop (tornando-o praticamente inútil) para o poder reutilizar este segundo banho em revelações mais "convencionais".

 

Algumas fotos da Canonet carregada com Ilford HP5+ revelado por 13 minutos com cafenol:

revelação com caffenol

revelação com caffenol

revelação com caffenol

revelação com caffenol

revelação com caffenol

revelação com caffenol

 

 

Considerações finais

 

 

Respectivamente ao Rodinal, há, sem dúvida uma melhoria relativamente ao grão; o cafenol é um revelador com resultados interessantes em situações com pouca luz e bastante versátil: várias pessoas estão a usá-lo para revelar C41.

 

 
Posso partilhar que no Blog do senhor Reinhold  (e não só) vi imagens reveladas a 3200 e li comentários de pessoas que depois de usarem Xtol e afins, ao passarem para o cafenol, nunca mais quiseram outra coisa. Além disso isto é uma fórmula que (aparentemente) resulta muito bem em filmes "mais nobres" como os Tri-X e afins.
 
A nível do aspecto, o negativo não apresenta grande diferença relativamente aos outros processos (Rodinal e C41) tendo a densidade relativamente normal, tendo em conta que o usei tanto de noite como num dia de sol na rua (à sombra, está claro). 

 

Para finalizar, há que lembrar que, visto sermos nós a misturar os componentes, torna-se, ao contrário dos reveladores de compra, poder criar uma receita que melhor se adeqúe às nossa necessidades, nomeadamente em assuntos como o contraste. Mais isso serão outras guerras mais à frente!

 


Um agradecimento especial ao Gonçalo Matias, todas as fotos da sua autoria e publicadas com permissão.

 

Referências:

www.caffenol-cookbook.com
caffenol.blogspot.pt

 

Adicionar novo comentário

Plain text

  • Não são permitidas tags HTML.
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.
By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.