video

3 curtas de animação sobre a vida de 3 fotógrafos pioneiros

O animador Drew Christie de Whidbey Island, Washington, fez recentemente uma série de curtas-metragens de animação encomendadas pelo pelo San Francisco Museum of Modern Art, que contam a história de três fotógrafos pioneiros.

 

Henry Fox Talbot

"Sun Pictures" conta a história das primeiras fotografias, bem como as inovações esquecidas de Henry Fox Talbot:

 

Eadweard Muybridge

“Slices of Time” é sobre a carreira de Eadweard Muybridge, o padrinho do cinema:

 

Carleton Watkins

“Peaks and Perils” é sobre o trabalho de Carleton Watkins, fotógrado de paisagem do século 19, cujo trabalho convenceu o Congresso dos EUA a tornar Yosemite num parque nacional:

 

(via Drew Christie via ISO 1200)

 

 

Projecto Lá Tinha

Projecto Lá Tinha

 
Lá Tinha é um projecto que ensina jovens e crianças a construir câmaras fotográficas artesanais a partir de latas de sardinha e alguns materiais encontrados em casa.
 
 
Criado pelo publicitário Bob Ferraz e o fotógrafo Diego Cunha, o projecto teve início em 2013 no bairro Cova da Moura, onde 12 crianças tiveram a oportunidade de criar as suas próprias câmaras. Segundo os criadores, o grande objectivo é fomentar a criatividade, estimular a autoconfiança e as habilidades manuais. Os participantes nas oficinas são convidados a documentar o seu meio com as câmaras construidas.
 
 
O funcionamento é simples e com base na técnica de pinhole: apoia-se a câmara em algo fixo, um tripé ou até mesmo um muro. Abre-se o "obturador" durante cerca de três segundos (dependendo da quantidade de luz e do ISO do filme), fecha-se e roda-se o filme para a próxima fotografia. Quando o rolo acabar basta recarregar a latinha com um novo.
 
 
O grande trunfo desta iniciativa é a inclusão de jovens de meios desfavorecidos, pois permite-lhes criar um artefacto, fazer a fotografia e ver o resultado final. Esta experiência proporciona aos participantes o primeiro contacto com a fotografia analógica, usando um material tido à partida como lixo.
 
 
Em Setembro arrancará uma nova oficina na Cova da Moura.
 
 
Em baixo um vídeo e algumas fotos dos participantes:
 
 
 

 

 

Projecto Lá Tinha

 

Projecto Lá Tinha

 

Projecto Lá Tinha

 

Projecto Lá Tinha

Via http://projetolatinha.com/, mais fotos no flickr.

 

 

O JOBO 2400

Tanque Jobo 2400

 

Já falámos por aqui da JOBO, a marca germânica que sempre se diferenciou da concorrência devido à sua qualidade e à capacidade de pensar fora da caixa.
 
 
 
Lançado nos anos 70, a pensar no fotógrado que está no terreno, o Tanque Jobo 2400 permite processar um filme de 35mm à luz do dia. Usando este tanque, deixa de ser necessário recorrer à câmara escura ou ao saco de câmara escura para carregar o rolo na espiral, porque esse processo é feito dentro do tanque de um modo engenhoso.  
 
 
 
O tanque necessita de 450ml de solução para cobrir a película por completo. Hoje em dia, não faz muito sentido gastar tanta quimica. O JOBO 1510, por exemplo, precisa apenas de 250ml. Contudo, na altura em que foi lançado, por vezes os filmes eram processados com urgência, para serem enviados para as redacções dos jornais. Assim, não é difícil acreditar que este tanque tenha sido bastante inovador.  
 
 
Mesmo assim, nos tempos que correm, o JOBO 2400 não deixa de ser o ideal para aqueles que têm pânico do escuro, ou para quem nunca se habituou a carregar o filme na espiral.  
 
 
A malta da CatLabs demonstra como se usa o tanque no vídeo a seguir:

 

 

Manual de instruções

 

A câmara escura de Clyde Butcher

foto de Clyde Butcher

Dizer que Clyde Butcher é um fotógrafo de paisagem que usa câmaras de grande formato é redutor. Em Clyde Butcher, tudo é enorme: o filme, a câmara escura e as fotos.  

 

Formado em arquitectura, Butcher decidiu mudar o rumo da sua carreira depois de ver uma exposição de Ansel Adams em Yosemite. Ficou tão impressionado com o trabalho do fotógrafo, que começou a fotografar paisagens a preto e branco. 

 

O choque frontal de um condutor embriagado com o seu filho nos anos 80 foi um evento que o marcou para sempre, levando-o a mudar-se para a Florida e a fotografar exclusivamente em preto e branco, com câmaras de grande formato; principalmente uma Deardorff 8x10''. Até hoje, Butcher tem vindo a documentar extensivamente a paisagem da Florida, com grande enfoque nos Everglades.

 

As fotografias resultantes atingem dimensões murais ( até 1,5x2,5m ) com um detalhe que só é possível devido ao suporte utilizado e à mestria do fotógrafo na câmara escura. O monitor talvez não faça justiça às fotos. Dizem que as fotos impressas de Butcher são de tirar o fôlego!

 

Terminamos com um vídeo em que Butcher faz uma visita guiada à sua câmara escura e ainda uma apresentação inspiradora nas TED talks.

 
 
 
 
Referências:
 
 
 

Documentário Long live film disponível na rede

O documentário que noticiámos aqui, uma produção conjunta de Indie FIlm Lab e Kodak Alaris está finalmente disponível na rede.

 

O que era inicialmente um vídeo de 5-10 minutos para documentar uma viagem, evoluiu para o documentário Long Live Film; em que uma nova geração de fotógrafos norte-americanos falam da sua relação com a fotografia analógica e as razões que os levam a continuar a disparar com filme.

 

Desfrutem!

 

 

A Polaroid 20x24

Edwin H. Land: o fundador da Polaroid

Edwin H. Land: cientista, inventor, empreendedor, visionário...  mais conhecido como co-fundador da Polaroid e criador da fotografia instantânea.

 
Figura marcante da cultura popular do séc. XX, Land mudou o paradigma da fotografia para sempre. Foi capa das revistas Time e Life. Mais recentemente, foi várias vezes comparado com Steve Jobs, pois os trajectos de ambos têm vários aspectos em comum. O próprio Jobs confessou mesmo que Land era uma referência para ele.
 
 
Em 1978, para uma reunião com accionistas, Land pediu ao departamento técnico que criasse uma câmara de grande formato, com o objectivo de demonstrar o potencial dos filmes Polaroid. O resultado foi uma câmara gigante que faz fotos de 20x24" (50x 60cm). 
 
 
Para além de ser um homem carismático, Land tinha também uma visão artística. Assim, possibilitou a vários fotógrafos a oportunidade de usar estas câmaras em troca das fotos produzidas por ela. Nomes como Ansel Adams, Chuck Close, Robert Frank e Andy Warhol contribuíram para a Polaroid Collection. Esta colecção pertenceu à Polaroid Corporation, até 2010, mantendo-se intacta até à data. Foi posteriormente leiloada em New York num processo envolto em controvérsia.
 
 
Das câmaras feitas em 1978, existem actualmente 6 espalhadas pelo mundo. Uma está em New York no estudio 20x24, outra em Cambridge no estúdio de Elsa Dorfman.
 
 
Os dois vídeos que se seguem permitem-nos ver esta mítica câmara em acção:
 

 
 
 
 
 
 
 
Referências:
 
 
 
 

Nos bastidores de Creating Camelot

prova-de-contacto-jacques-lowe
exemplo de prova de contacto de Jacques Lowe

 

Para além das milhares de vidas, prédios e outras casualidades que se perderam no 11 de Setembro de 2001, também se perdeu um espólio de valor incalculável que estava guardado num cofre à prova de fogo no World Trade Center.

 

Nesse cofre estavam 40.000 negativos que Jacques Lowe, o fotógrafo oficial dos Kennedy registou durante três anos. Lowe tinha acesso livre acesso e fotografou desde aparições oficiais a momentos mais intimistas da familia Kennedy.

 

Por sorte, Lowe tinha no seu estúdio de New York um backup com 1.500 provas de contacto. Essas provas de contacto eram uma ferramenta para o fotógrafo que marcava as imagens para publicar com lápis, marcadores ou autocolantes. 

 

 

pormenor de uma prova de contacto: antes e depois

 

Para a exposição Creating Camelot no museu Newseum de Washington, os técnicos tiveram que restaurar as provas de contacto e lidar com todos os problemas implícitos: riscos, pó e sujidade. Foram restauradas mais de 200 imagens das provas de contacto e dessas foram usadas 70 na exposição.

 

Este vídeo mostra um bocado do processo do restauro e os desafios que a equipa enfrentou:

 

 

Para saber mais no blog da Adobe Lex van den Berghe revela mais detalhes de como correu o processo de restauro, e a filha de Lowe fala um bocado da relação do pai com os negativos

 

via Time

 


Camelot

Em contextos norte-americanos, a palavra "Camelot" às vezes é usado para referir com admiração a presidência de John F. Kennedy, como seu mandato foi dito ter potencial e promessa para o futuro, e muitos foram inspirados pelos discursos de Kennedy, visão e políticas .

Na época, o assassinato de Kennedy tinha sido comparado com a queda do rei Arthur. As linhas "Não deixe que ele seja esquecido, uma vez que havia uma mancha, por um breve momento brilhante, que era conhecido como Camelot", do musical Camelot, foram citados por sua viúva Jacqueline como sendo de sua canção favorita da partitura. "Haverá grandes Presidentes de novo", ela acrescentou, "mas não vai haver outro Camelot novamente ... isso nunca vai ser assim de novo". 
in wiki
 
 

Long live film!

long live film by indie film lab

O trailer do documentário Long live film! tem gerado burburinho nas redes sociais nas últimas semanas, produzido pelo pequeno laboratório Indie Film Lab de Montgomery e a Kodak.

 

Pouca informação foi libertada sobre o documentário, apenas que é uma parceria entre o Indie film Lab e a Kodak e que é focado em fotógrafos que ainda usam filme e as razões porque o fazem.

 

Do que conseguimos apurar parece que Kodak e Indie FIlm Lab são próximos, tanto nas referências à kodak no blog do laboratório assim como o destaque dado ao fundador do laboratório no blog da kodak.

 

Ficamos a aguardar com espectativa a estreia do documentário porque também amamos o filme. 

 

 

 

via Lomography

Everybody Street - um documentário sobre fotografia de rua

trailer de Everybody Street

O documentário "Everybody Street" presta homenagem ao espírito da fotografia de rua através de uma exploração cinematográfica de New York, capta as emoções, perseverança e o perigo que os fotógrafos enfrentam por vezes no seu quotidiano. Com testemunhos dos fotógrafos de rua mais carismáticos do mundo, será com certeza um sucesso.

 

 

O documentário conta com um elenco de luxo: Bruce Davidson, Elliott Erwitt, Jill Freedman, Bruce Gilden, Joel Meyerowitz, Rebecca Lepkoff, Mary Ellen Mark, Jeff Mermelstein, Clayton Patterson, Ricky Powell, Jamel Shabazz, Martha Cooper, Jeff Mermelstein, e Boogie. Realizado por Cherryl Dunn e produzido por Lucy Cooper.

 

Aqui fica o trailer:

Everybody Street Trailer from ALLDAYEVERYDAY on Vimeo.

 

 

via http://everybodystreet.com/

Sally Mann

Sally Mann a tirar uma fotografia

"Não é pelo simples facto de se usarem processos tradicionais que as imagens ou obra de alguém passa a ser interessante."

Sally Mann usa processos tradicionais e o seu trabalho é mesmo interessante. A sua fotografia tem um cunho pessoal vincado e sempre retratou o que a rodeava: familia, a quinta e os animais. Reconhece o gosto pelo erro, pelo inesperado que acontece quando trabalha com colódios.

Aqui fica um vídeo inspirador:

Sally Mann from Alexander Joffre on Vimeo.